Início » DESTINOS » BRASIL » RIO GRANDE DO SUL » Bento Gonçalves – A terra do vinho e da massa
Pórtico Bento Gonçalves

Bento Gonçalves – A terra do vinho e da massa

Compartilhe com seus amigos!

Bento Gonçalves é uma charmosa cidade do Rio Grande do Sul, que está localizada a 109 Km de Porto Alegre e a 40 Km de Caxias do Sul. Com fortes influências da predominante imigração italiana, é o destino ideal para os amantes de vinho e de massa.

Confira abaixo as principais dicas para não deixar de conhecer nenhum ponto importante desse lugar tão encantador.

COMO CHEGAR

De avião

O aeroporto mais próximo fica em Caxias do Sul, a 45 Km. Enquanto o aeroporto de Porto Alegre fica a 124 Km.

De carro

Vindo de Porto Alegre, o acesso é feito pela BR-116, RS-122 e RS-470. Vindo de Caxias, o acesso é feito pela RS-453 e RSC-470

De ônibus

As empresas Itapemirim e Penha tem ônibus partindo de diversas capitais do país com destino a Porto Alegre, onde é possível utilizar a viação Unesul, que faz a linha de Porto Alegre a Bento Gonçalves.

Circulando em Bento Gonçalves

A melhor maneira de circular por Bento Gonçalves é de carro, pois as principais atrações ficam afastadas do centro. A RS-470 cruza a cidade e por ela é fácil chegar aos distritos de Tuiuty (onde está a vinícola Salton) e Faria Lemos (sede da Dal Pizzol). É através dela que também chegamos a Estrada do Vinho (RS-444), que leva ao Vale dos Vinhedos, um dos principais roteiros dessa viagem. Para quem está sem carro a opção é contratar pacotes turísticos.

QUANDO IR

Bento Gonçalves pode ser visitada em qualquer época do ano, porém durante os feriados, um grande número de turistas costumam visitar a região. Nessas situações você provavelmente precisará enfrentar muitas filas de espera. Mas, se para você isso não for um problema, Bento é o destino ideal para ir durante um feriado. Em contrapartida, se isso tornará sua viagem menos interessante e até cansativa, recomendamos que procure visitar fora desses períodos.

É no verão que ocorre a festa mais famosa da região, a Vindima. Também conhecida como festa da colheita, diversas vinícolas, restaurantes e hotéis promovem uma série de atividades para o turista. Dentre as muitas programações possíveis estão a participação da colheita propriamente dita, pisa das uvas, degustações de vinhos e sucos, jantares harmonizados e apresentações folclóricas.

Para os casais e aqueles que querem fugir da alta temporada, uma boa alternativa é ir no inverno. As baixas temperaturas são perfeitas para programas românticos. Mas atenção, entre maio e junho acontece as comemorações pelo Dia do Vinho, então fique atento as datas se quiser evitar aglomerações.

ONDE FICAR

Basicamente existem 3 opções de hospedagem distintas que você pode escolher. A primeira, e talvez a mais interessante delas, é ficar hospedado numa nivícola. Outra opção também muito interessante é hospedar-se no caminho das pedras. E por fim, você pode preferir ficar longe do roteiro turístico, no centro da cidade. Cada opção oferece suas vantagens, que vamos explicá-las com detalhes abaixo, assim você pode decidir aquela que melhor se adéqua ao seu estilo.

Hospedagem em Vinícola

Ficar hospedado em uma vinícola é uma das opções mais interessantes para quem está visitando a terra do vinho. Acordar de manhã com a visão infinita dos parreirais e aquele aroma de campo, é realmente tentador. Como bônus, algumas vinícolas oferecem opção de visitação e degustação do processo de fabricação dos vinhos gratuitamente para os hospedes. Normalmente os demais visitantes também podem fazer esses passeios, mas geralmente por um custo adicional.

Apesar de ser uma das melhores e mais charmosas opções, essa também costuma ser a opção mais cara de hospedagem. Abaixo deixaremos algumas sugestões que você pode gostar.

Casa Valduga

A Casa Valduga disponibiliza quatro opções de hospedagens, com diferentes preços. A pousada Storia, Gran, Identidade e Leopoldina. Para mais informações e reserva, você deverá entrar em contato diretamente com eles pelo site.

Hotel Villa Michelon
Hotel & Spa do Vinho
Hospedagem no Caminho das Pedras

O Caminho das Pedras é o lugar para quem busca história e cultura. Reconta o caminho percorrido pelos primeiros imigrantes italianos. E escolher uma pousada como a Cantelli, é reviver todo esse passado com muito charme.

Hospedagem longe da zona turística

Essa opção é definitivamente a mais barata de todas. No centro existem diversas opções de hospedagem com preços bem atrativos. Para quem quer economizar com hospedagem durante a viagem, mas sem abrir mão do conforto, essa é sem dúvida a melhor alternativa. No entanto, os hotéis, apesar de elegantes e confortáveis, não oferecem o mesmo charme e encanto que as opções anteriores.

Resolvemos optar por esse tipo de hospedagem, mas confessamos que desde então, ficamos desejosos de retornar a Bento Gonçalves durante a vindima, apenas para curtir os festivais e ficar hospedado numa vinícola. Se você é como nós, que odeia o desejo de que ficou faltando algo durante a viagem, que não gosta da sensação de ter que voltar a um lugar para terminar de “cumprir com as obrigações turísticas”, então sugiro refletir bem sobre onde ficar. As vezes compensa pagar um pouco a mais, mas vivenciar tudo aquilo que deseja, sem arrependimentos.

Hotel Laghetto Viverone

Optamos pelo Hotel Laghetto Viverone que é muito bom e confortável, Porém achamos que o café da manhã deixou a desejar. Apesar da grande variedade, não estava muito saboroso.

Dall’Onder Grande Hotel

Outra opção de hospedagem no centro é o famoso Dall’Onder Grande Hotel, que costuma utilizar os maravilhosos produtos da Casa da Ovelha. Para quem não quer gastar muito, mas mesmo assim ter um pouco mais de charme, essa pode ser uma boa opção.

O QUE FAZER

Dia 1 – Vale dos Vinhedos

Você vai precisar de pelo menos 1 dia para conhecer o Vale dos Vinhedos e alguns dos seus principais atrativos, que vão além das vinícolas. Dependendo de quantos dias pretende ficar em Bento Gonçalves, esse passeio pode ser estendido para 2 dias, de modo que você poderá conhecer com mais profundidade os atrativos. Colocaremos abaixo algumas dos lugares mais legais do Vale dos Vinhedos, que você não pode deixar de conhecer.

Itallinni Biscotteria

Trata-se de uma pequena fábrica de biscoitos produzidos artesanalmente, sem adição de conservantes e livres de gorduras trans. Na loja é possível degustar os inúmeros sabores, um melhor que o outro. O difícil é escolher dentre tantas opções quais comprar. No contra-rótulo, os produtos levam indicações de harmonização com vinhos.

Cave de Pedra

Construída em pedra basalto, com arquitetura que lembra os castelos medievais, a vinícola é puro charme e encantamento.

Dica

Muitas vezes as grandes vinícolas lotam de turistas e o atendimento e visitação não são tão atrativos quanto as pequenas. Se você gosta de um contato mais pessoal e ouvir boas histórias, não deixe de visitar a Vinícola Torcello, que apesar de pertencer a família Valduga, tem uma proposta diferente de atendimento.

Onde comer no Vale dos Vinhedos

Durante esse passeio você encontrará diversas opções de restaurantes que servem rodízio de massa. Dificilmente encontrará opções a la carte, pois a maioria dos restaurantes da zona turística trabalham com esquema de rodízio.

Nós optamos por comer na Giordani Gastronomia Cultural. Todos os pratos estavam excelentes, mas confessamos que não há outro motivo além da comodidade para termos escolhido a Giordani. Era o lugar mais próximo do nosso “próximo destino” no vale dos vinhedos. E, como já havíamos pesquisado antes, selecionamos os restaurantes com melhores recomendações na internet e decidimos que comeríamos naquele que estivesse mais “a mão” quando a fome batesse.

Dia 2 – Passeio de trem e vinícolas

Faça o passeio de trem e conheça a epopeia italiana. Como o passeio é muito concorrido, os ingressos costumam se esgotar rapidamente. Então, para evitar surpresas desagradáveis, sugerimos que os adquira com antecedência. No site oficial de divulgação do passeio, você poderá obter mais informações realizar as reservas.

O ingresso inclui, além do passeio de trem, visitação a epopeia italiana. A epopeia é um museu que a primeira vista não parece ter muito encanto, apenas com alguns objetos e roupas típicas da época da imigração. No entanto, em determinado momento, eles fazem uma apresentação sobre a imigração com montagens de cenários, que realmente emociona. Principalmente para aqueles que são descendentes.

Museu Epopeia Italiana
Maria Fumaça – Um retorno ao passado

Mas o ponto alto desse passeio é o trem, que sai de Bento Gonçalves, passa por Garibaldi e termina em Carlos Barbosa. O retorno é feito por van. Durante todo o percurso do trem, são realizadas animadas apresentações de músicas italianas. São feitas duas paradas para degustação de vinhos, espumantes e sucos de uva integrais ao som, é claro, de muita música.

Vinícola Salton

Terminando o passeio de trem, haverá tempo de conhecer outras vinícolas. Recomendamos que aproveite para conhecer a Vinícola Salton, que fica no distrito de Tuiuty. Famosa por seus espumantes, a Salton dispensa maiores comentários.

Dia 3 – Roteiro Caminho de Pedras

Um dos passeios mais bonitos de Bento Gonçalves, o roteiro possui sete quilômetros que passa por 28 construções em pedra e madeira, formando um cenário que remete à região Norte da Itália. Trata-se de uma verdadeira viagem ao passado. São moinhos, casas de massas, de teares, de erva-mate e de ovelhas, além de cantinas e capelas. Nos estabelecimentos ao longo do caminho há ofertas de diversos produtos coloniais.

Casa de Ângelo

O restaurante Casa de Ângelo está localizado numa casa construída em 1889, com pedras de basalto irregular de cor preta. A casa foi totalmente restaurada, mas manteve o charme histórico intacto.

Casa da Ovelha

A Casa da Ovelha além de possuir uma loja com diversos produtos, existe um parque onde o turista pode acompanhar a rotina da fazenda, ou mesmo participar dela, alimentando as ovelhas, por exemplo. Para crianças e amantes das tarefas do campo, o passeio é realmente interessante.

Onde comer no Caminho das Pedras

Nossa recomendação super especial para o almoço vai para o restaurante da Casa do Tomate.

O restaurante é uma remontagem de um antigo galpão de madeira, para representar como eram as moradias dos primeiros imigrantes italianos que chegaram a Bento.

Muito simples a vista, o restaurante impressiona no sabor. Sem medo de errar, podemos dizer que é um dos melhores lugares que já comemos. Desde os patês de entrada até o prato principal, tudo é preparado com produtos locais e frescos.

Semelhante ao Vale dos Vinhedos, aqui você também encontrará apenas opções de rodízio ou sequência de pratos, mas com preços mais acessíveis.

QUANTO TEMPO

O tempo ideal para conhecer um pouco de tudo são de 3 a 4 dias. O tempo depende basicamente de quantas atrações você gostaria de conhecer.

São inúmeras vinícolas, de todos os tamanhos e para todos os gostos, além de construções históricas e restaurantes maravilhosos. Desse modo, você precisará fazer uma pré seleção daquilo que mais te interessa.

Nosso intuito aqui foi deixar algumas dicas dos principais lugares, mas é impossível falar de todos eles em um único post e impossível conhecer tudo em uma única viagem.

Fazer um blog de viagem era um sonho antigo, que finalmente consegui realizar. Adoro escrever, falar de viagem e ajudar as pessoas a encontrar a próxima rota incrível para chamar de sua. Sou filha de fotógrafos e herdei dos meus pais a paixão por fotografia. Mas mais do que tudo, adoro viajar, conhecer novos lugares, novas culturas. Para mim viajar é terapia, é aprendizado, é realização. Tem uma frase de Santo Agostinho que me define completamente, que diz que "o mundo é um livro, e aqueles que não viajam leem somente uma página".