Início » BATE-VOLTA » O que fazer em Itu – A cidade dos exageros
Pórtico

O que fazer em Itu – A cidade dos exageros

Compartilhe com seus amigos!

Itu, também conhecida como a cidade dos exageros, já foi a cidade mais rica do estado de São Paulo. Nela residiram muitos barões do café e autoridades do país. A cidade também é conhecida como Berço da República, devido sua grande importância no processo que conduziu a proclamação da república do Brasil, em 1889.

COMO CHEGAR

  • De carro

Localizada a cerca de 100 km de São Paulo, a maneira mais tranquila de viajar até lá é de carro. A Rodovia Castelo Branco liga São Paulo a Itu e a Rodovia Santos Drumond liga cidade com Campinas.

  • De ônibus

A viação Vale do Tietê faz o trecho que liga São Paulo a Itu. Consulte as informações de preços e horários aqui.

  • Circulando por Itu

A maioria dos passeios em Itu ficam localizados no centro histórico ou próximo deste. Para quem está sem carro (ou mesmo que esteja), uma opção divertida de passear pela cidade e conhecer um pouco de sua história é através do passeio de jardineira.

O QUE FAZER EM ITU

Igreja Matriz

Localizada no centro histórico, a belíssima Igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária, foi construída em 1780. O seu interior é extremamente luxuoso e nos faz imergir um pouco no nosso passado imperial. Existem outras igrejas em Itu também localizadas no centro histórico que valem a visitação, como o belíssimo Santuário Nacional Sagrado Coração de Jesus e a linda Capela de Nossa Senhora de Fátima.

Praça da Matriz

Em frente a Igreja Matriz, está localizada uma praça com diversos pontos interessantes. Entre eles, o famoso orelhão GIGANTE.

Museu Republicano

Inaugurado em 18 de abril de 1923, o museu é especializado no período da República Velha. Localizado no centro histórico de Itu, no mesmo sobrado onde se reuniram em 1873 os partidários da derrubada do regime monárquico brasileiro. Com entrada gratuita, nele é possível encontrar diversos objetos históricos e fotografias de importantes nomes do Brasil.

Museu da Energia

Localizado no centro histórico, o museu possui entrada gratuita para o primeiro piso e cobram uma entrada de R$ 4,00 para visitação da exposição do piso superior.

Fábrica São Luiz

Fundada em 1869, a Fábrica de Tecidos São Luiz foi a primeira indústria a vapor do estado de São Paulo. Localizada no centro histórico de Itu, possui entrada gratuita para visitação.

Cruzeiro São Francisco

Construído na segunda metade do século XVIII, está localizado no antigo Largo São Francisco, no centro histórico de Itu. Aqui existiram igrejas e um convento que pertenciam a ordem franciscana. Infelizmente, em 1907 o conjunto sofreu um incêndio, que poupou apenas o Cruzeiro de São Francisco.

Ruas do Centro Histórico

Além de museus, monumentos e objetos gigantes, o centro histórico de Itu está repleto de construções particulares antigas, que torna a cidade um verdadeiro museu a céu aberto. Aproveite para caminhar com calma pelas ruas e apreciar sua lindíssima arquitetura.

Praça dos Exageros

Distante cerca de 2 km do centro histórico, a praça exibe objetos gigantes famosos em Itu. Achamos o lugar um pouco abandonado e carente de revitalização, mas ainda assim confere uma boa opção de passeio.

Parque Varvito

Localizado um pouco mais distante do centro histórico, temos o Parque Geológico do Varvito.  O parque, que funciona de terça a domingo, das 8 às 16 horas e 30 minutos, possui entrada gratuita e recebeu esse nome devido a presença de um tipo de rocha sedimentar única. Mas melhor do que tentar descrever a beleza da rocha é mostra-la.

Apesar da rocha ser a estrela principal, o parque oferece diversos ambientes para caminhada e relaxamento. Oferece inclusive alguns espaços para quem desejar levar seu próprio lanche e passar algumas horas agradáveis descansando no parque. Diferente de outros lugares em Itu, achamos o parque muito bem cuidado e conservado.

Estrada Parque

O Estrada Parque, como o próprio nome diz, é uma estrada que foi convertida em parque. A estrada percorre o rio tietê, que neste ponto ainda está bastante sujo. Possui como principais atrativos a Gruta da Glória e a Fazenda de Chocolate.

Estávamos com bastante expectativa em relação a Gruta da Glória e infelizmente ficamos um pouco decepcionados com o lugar. Ao entrarmos na gruta, descobrimos que o lugar está completamente abandonado. O corrimão das escadas está completamente enferrujado, em alguns pontos está quebrado, o que torna o passeio inclusive um pouco perigoso.

Apesar disso, subindo com bastante cuidado para não tocar em anda, encontramos uma visão espetacular do parque.

Referente a Fazenda do Chocolate, apesar de um pouco diferente do que imaginávamos, o lugar é excelente. É perfeito para quem possui crianças menores, pois possui tudo pensado nelas. Desde uma fazendinha, com passeios de pôneis, até um parquinho super divertido com um mini touro mecânico. O lugar ainda oferece diversas lojas que vendem artesanatos, a guloseimas e produtos medicinais naturais. Além de tudo isso, existe um restaurante voltado para o lago, que serve comida ao melhor estilo caipira, com preço fechado e buffet livre.

ONDE COMER

Em Itu existem diversas opções para comer tanto no centro histórico, como em lugares mais afastados, como a Fazenda do Chocolate. Nós optamos pelo lugar mais tradicional, a matriz do Bar do Alemão. O ambiente em Itu é um pouco diferente de outras filiais do bar que fomos por São Paulo.  Mas ao contrário da informação que tivemos, não achamos diferença na comida. Nós pedimos nosso prato preferido do restaurante: Parmegiana de Filet Mignon. Até hoje ainda não experimentamos uma melhor.

Fazer um blog de viagem era um sonho antigo, que finalmente consegui realizar. Adoro escrever, falar de viagem e ajudar as pessoas a encontrar a próxima rota incrível para chamar de sua. Sou filha de fotógrafos e herdei dos meus pais a paixão por fotografia. Mas mais do que tudo, adoro viajar, conhecer novos lugares, novas culturas. Para mim viajar é terapia, é aprendizado, é realização. Tem uma frase de Santo Agostinho que me define completamente, que diz que "o mundo é um livro, e aqueles que não viajam leem somente uma página".