Início » DESTINOS » REPÚBLICA DOMINICANA » Punta Cana, um paraíso acessível no Caribe
Punta Cana

Punta Cana, um paraíso acessível no Caribe

Compartilhe com seus amigos.

Relutei muito tempo em conhecer o Caribe, afinal, eu venho do nordeste brasileiro, que possui praias paradisíacas. Eu duvidava que realmente valeria apena viajar centenas de quilômetros para ir para um lugar que não poderia ter praias mais bonitas que as do nordeste brasileiro. Talvez igualmente bonitas, mas não mais. Depois de toda essa relutância, no entanto, decidi conhecer o caribe, mais especificamente Punta Cana.

POR QUE PUNTA CANA

Como era minha primeira vez no caribe, escolhi Punta Cana principalmente por dois motivos. Primeiro porque é um destino barato. A cidade oferece uma quantidade absurda de Resorts All Inclusive para todos os bolsos. Segundo, eu queria um lugar que não tivesse muito o que fazer em termos de passeios.

Para mim não faz sentido pagar um Resort All Inclusive e gastar metade da viagem fora dele, em passeios. E se o lugar oferecesse muitas coisas legais para fazer, eu simplesmente não iria resistir. Com isso, Punta Cana se mostrou o destino ideal, que unia as duas palavras mágicas do momento: preço bom e caribe.

DICAS DE VISTO E MOEDA

Não é necessário visto para entrar em Punta Cana, apenas o passaporte. Também não é necessário visto para o Panamá e Bogotá. Cidades em que a maioria dos voos fazem conexão.

A moeda local é o peso dominicano, mas para ser sincera, não vi ninguém utilizando essa moeda. Primeiro porque o resort é all inclusive, então não gastei muito além do que já estava pago. Segundo porque o dólar é largamente aceito por lá. Todos os passeios, preços e serviços extras (no resort e fora dele) são vendidos em dólar.

Antigamente pagava-se 10 dólares de taxa de turismo para entrar na República Dominicana. Atualmente o governo não está mais cobrando essa taxa, mas é sempre bom levar uma quantia extra em espécie.

COMO CHEGAR

A maioria dos voos que vão a Punta Cana são com conexão. A gol opera alguns voos diretos, mas eu particularmente não gostei dos horários e preferi viajar por conexão.

Inicialmente, quando comprei minha passagem, peguei tanto a ida como a volta com conexões bem curtinhas. Confesso que depois me arrependi. Afinal, só depois eu me toquei que poderia ter escolhido um voo com uma conexão super longa, e assim aproveitar para conhecer mais um destino.

Como essa foi minha primeira viagem internacional, eu naturalmente cometi alguns erros. Mas no fim tudo acabou se encaixando. Meu voo de ida foi cancelado e consegui negociar com a minha operadora de voo, no caso a Avianca, a troca por um voo partindo um dia antes e com uma conexão de 22 horas. Com isso, antes mesmo de chegar a Punta Cana, fiz uma paradinha para conhecer e me apaixonar por Bogotá.

Leia mais:

O que fazer durante uma conexão em Bogotá

Chegando em Punta Cana, existem diversos táxis e serviços de transfer a disposição. Eu fechei o meu transfer com antecedência pelo decolar e foi muito fácil de me localizar. Logo na saída do desembarque, virando a esquerda, existe um balcão com diversas agências de turismo que operam por lá. No caso da decolar, existe uma plaquinha com identificação no guichê.

IDIOMA

Como a maioria dos países da America Central e Sul, fala-se espanhol na República Dominicana. Os guias turísticos e a maioria dos funcionários dos Resorts também falam inglês. Mas, de maneira geral, para quem não fala inglês ou espanhol, eles entendem muito bem o “portunhol”. Então não precisa se preocupar com essa questão de idioma por lá.

ONDE FICAR

O melhor de ir a Punta Cana é ficar hospedado em um dos Resorts All Inclusive. Depois de ir em um entendi o porquê as pessoas vão. É até mesmo difícil explicar com palavras o porquê vale apena, mas acredite, vale. Ah e não tente comparar com os Resorts do Brasil. Não tem como.

As opções de hospedagem são infinitas e eu mesma levei um tempão lendo e pesquisando sobre onde ficar. Por fim, me hospedei e super indico o Riu República Adults Only. Como o próprio nome diz, é um hotel somente para adultos (maiores de 18 anos).

Leia mais:

Riu República – Hospedagem só para adultos em Punta Cana

QUANDO IR

  • Dezembro – Abril: Inverno e alta temporada. Resultado: preços mais elevados.
  • Maio – Julho: Verão. Possui bons preços, mas é também a temporada de algas.
  • Agosto – Novembro: Baixa temporada, mas é quando ocorre a temporada dos furações.

Eu optei ir entre o final de novembro e começo de dezembro. Assim eu fugi ao máximo do risco de furacões e ao mesmo tempo obtive os preços da baixa temporada. Mesmo sendo novembro, andando pela praia no sentido a praia de Bávaro, encontrei algumas algas.

O QUE FAZER EM PUNTA CANA

Como mencionado acima, escolhi Punta Cana justamente pela falta do que fazer. Mas isso não quer dizer que não tem passeios, e sim que não eram passeios essenciais para mim. A maioria dos passeios de Punta Cana não diz respeito a história do lugar (meu tipo de passeio preferido). E sim passeios que eu sei que encontraria em outros lugares. Em todo caso, se você é o tipo que adora fazer um monte de atividades quando está viajando, deixarei abaixo os principais atrativos em Punta Cana.

Passeio de barco a Isla Saona

Esse foi o único passeio que eu realmente fiz. Como eu mencionei antes, minha intenção era não fazer nenhum passeio. Mas depois de tanta gente falar que esse passeio era único e indispensável, não quis arriscar. E realmente, o passeio é tudo o que dizem e mais um pouco.

Passeio em Santo Domingo

Eu fiquei com muita dúvida se deveria ou não fazer esse passeio. No fim eu não fiz por uma questão de tempo. Talvez seja a única coisa que faria diferente em minha viagem. Se fosse programar tudo novamente, acrescentaria um dia a mais em Punta Cana para incluir esse passeio em meu roteiro.

Passeio de barco a Isla Catalina

Esse passeio pode substituir o Isla Saona. A maioria dos pacotes que eu vi por lá, inclui visita a Altos de Chavón e ao Cenote Hoyo Azul. O passeio parece bem interessante, mas o preço é bem salgado, então nem cheguei a considerá-lo.

Cenote Hoyo Azul

Esse é um passeio de meio dia que eu realmente queria ter feito. Mas não encontrei nenhuma agência que vendia somente esse passeio. Era sempre combinado com outra coisa. Quer seja um passeio de buggy ou tirolesa. Seja como for, encarecia bastante o preço. Ficando a mesma coisa que eu paguei em Isla Sona. Desse modo, simplesmente não achei que valia apena.

Manati Park
Dolphin Island
Parasailing
Seaquarium

QUANTOS DIAS

Depende muito do que você pretende fazer em termos de passeios. No meu caso, fiz apenas um passeio de dia inteiro e passei o resto dos dias curtindo as maravilhas do meu resort.

No total fiquei hospedada por 7 dias. Mas, descontando 1 dia de passeio, a chegada e a saída, foram quatro dias inteiros no resort.  Apesar de chegar super cedo ao hotel, o cansaço da longa viagem atrapalha. Já o último dia, mesmo podendo curtir as dependências do hotel após o horário do check-out, não é a mesma coisa.

Portanto, de 7 dias de viagem com apenas 1 dia de passeio, eu tive 4 dias inteiros para curtir o resort. Ficaria mais? Com certeza, ficaria a vida inteira lá (haha). Mas essa conta foi o tempo ideal para descansar, comer muito, beber mais ainda e me divertir até bastante.

Depois desses dias, mesmo com aquele gostinho de quero mais, já estava preparada para retornar para casa com a mente descansada, renovada e sem arrependimentos.

Compartilhe com seus amigos.

Fazer um blog de viagem era um sonho antigo, que finalmente consegui realizar. Adoro escrever, falar de viagem e ajudar as pessoas a encontrar a próxima rota incrível para chamar de sua. Sou filha de fotógrafos e herdei dos meus pais a paixão por fotografia. Mas mais do que tudo, adoro viajar, conhecer novos lugares, novas culturas. Para mim viajar é terapia, é aprendizado, é realização. Tem uma frase de Santo Agostinho que me define completamente, que diz que "o mundo é um livro, e aqueles que não viajam leem somente uma página".